Saturday, November 26, 2011

Monday, November 21, 2011

Katuza

Hoje conheci uma Katuza. Disse-lhe: foste concebida com entusiasmo.

Multitasker

- Faz isso e não me chateies.
- Consigo fazer as duas coisas.

Sunday, November 20, 2011

A Cabana do Tio Tomás

Uma tradução à letra do título original de A Cabana do Pai Tomás faz com que o verdadeiro pai seja o irmão do Tomás.

Confiança

- Preciso que faças isto por mim.
- Não compreendo.
- Preciso que confies em mim, mesmo sem o compreenderes.
- Nesse caso, concerteza!

Diálogo do filme Blast From the Past (1999)

Pipi

Ela: Hoje estás todo pipi, onde vais esta noite?
Eu: Vou fazer pipocas.

Saturday, November 19, 2011

mudanças

‎"As esposas esperam que os maridos mudem e eles ficam na mesma, os maridos esperam que as esposas fiquem na mesma e elas mudam." Ouvi esta máxima hoje e acho que explica muita coisa.

Friday, November 18, 2011

Será a isto que chamam de dejà vu?

Ao dispor nas prateleiras as compras do hipermercado, verifico que comprei duas embalagens de cereais repetidas (duas variedades, quatro embalagens).
Será a isto que chamam de dejà vu?

Não há comer sem limpar

O cheiro da lixívia faz-me sempre lembrar o cloro das piscinas e não há sabor como o do fiambre acabado de cortar.
Ambas as sensações poderiam não estar relacionadas, mas experimentei-as com uma separação de minutos. Não há comer sem limpar.

Wednesday, November 16, 2011

pink


Gostava tanto de ter uma relação exclusivamente cor de rosa...


Tuesday, November 15, 2011

juras

Se te pedem que jures depois de fazeres uma promessa, é porque não acreditaram à primeira.

atropelamento e discussão

Novidade de última hora:

Numa descida a alta velocidade, na avenida 1º de Maio da Cruz de Pau, atropelei um indivíduo que vinha a falar ao telemóvel e decidiu atravessar na passadeira enquanto o semáforo estava vermelho para ele.

Quando finalmente se pôs de pé, argumentou que eu vinha em contra-mão, mas a minha resposta foi clara: estava vermelho para ele e nem sequer olhou para os dois lados da rua.

Sim, eu também fui ao chão e arranhei o braço direito do lado de fora. A tampa da manete do guiador direito foi esmocada, mas, à parte isso, a bicicleta não sofreu consequências. Arranquei e ele atravessou a rua a remoer. Um par de óculos escuros ficou partido junto ao passeio. Só sei que não eram meus.

Não foi um choque frontal, eu ainda tentei desviar-me, mas como estava vermelho, ele tentou atravessar muito depressa e embatemos.

Mais uma história a somar às minhas aventuras em cima do selim.

Saturday, November 12, 2011

à aventura no túnel

Saltar para a frente de um comboio em andamento é partir para a viagem mais longa do modo mais barato.
Ser só de ida não é problema. Viva a aventura.
Talvez do lado de lá se possa comprar o bilhete de regresso.


Tuesday, November 8, 2011

na cama

Bom mesmo é estar na cama com alguém que se ama... e que seja bom na cama.


FB Stringposts

A minha contribuição para os stringposts do Facebook:

Se conhecem alguém que morreu de amor ou ganhou a lotaria, coloquem este status no vosso mural durante uma hora... Mas que mania esta de querer que os outros façam coisas inúteis! Então o pormenor amuado e pedinchão do "Sei que poucos de vocês o farão"... mas que necessidade é que há, digam-me...

frio

O dia de ontem nem parece ter existido. Hoje acordei num cubo de gelo e está feio lá fora.

Saturday, November 5, 2011

Idades

Ela: ... Não nasci ontem.
Eu: Olha que pareces bem jovem...

Friday, November 4, 2011

sopa

Da próxima vez que for ao supermercado, vou comprar ingredientes para fazer uma sopa. Será a primeira desde a primavera.

Sinto que a minha vida precisa de uma sopa.

Tuesday, November 1, 2011

Victory over bike


A semana passada, o pneu da frente furou e, desde então, a bicicleta tem estado num canto, moribunda, à espera de ir ao veterinário. Ontem à noite, decidi intervir, commando style.

Tira pneu, solta câmara de ar, enche câmara de ar, inspecciona a superfície da câmara de ar, faz pressão em diversos sítios para identificar o local de onde o ar foge, localiza furo, remenda, reenche, reanalisa, deixa para o dia seguinte.

Esta manhã, a câmara de ar não tinha esvaziado, mas ainda não enchia como devia ser. Reenche, aperta, escuta, localiza segundo furo, remenda novamente.

À tarde, seguro do pneu estar devidamente recauchutado, passei duct tape sobre os locais já remendados, voltei a meter a câmara de ar dentro do pneu e o pneu sobre o aro da roda.

Amanhã, test drive. Fingers crossed.

Malho

A correr para o comboio no passado Sábado de manhã, estava ainda escuro e o piso molhado, quando a rua se moveu mais depressa do que eu e dei por mim a malhar para a frente. Ainda tentei usar a técnica do James Dean e ser mais veloz do que o asfalto, mas não consegui. Lembro-me de ter caído de tronco no chão, os óculos terem-se-me soltado do rosto e de ter-me posto de pé em acto contínuo, sem parar para pensar, e continuar a correr.


Curiosamente, as provas físicas não sustentam bem esta memória. Fiquei com escoriações em ambas palmas das mãos, o dedo do meio da mão direita inchou, uma arranhadela no joelho esquerdo, uma laceração no quadril do mesmo lado (que parece de uma chicotada) e as costelas superiores (a esquerda e a direita) doem-me quando respiro fundo.



Quanto aos bens materiais, a biqueira da bota direita foi arranhada e a correia do relógio quase ficou rasgada em duas pelo lado de dentro do pulso. O joelho esquerdo das calças está ileso, assim como o casaco e a camisola, que nem sequer se molharam, apesar do alcatrão estar molhado e ser áspero.



Três dias depois, as costelas ainda me doem um bocadinho e não consigo fechar completamente o dedo que inchou, a roupa continua a parecer nem ter sido usada nesse dia e a pulseira do relógio terá de ser substituída.



Serei demasiado forte para não me ter magoado mais, ou débil por me ter magoado tanto? Das coisas que não entendo é como a pulseira do relógio ficou num estado deplorável e a ponta da manga do blazer não sofreu nada, como é que a calça ficou normal e o joelho por dentro perdeu pele, como é que me doem as costelas e o blazer e a camisola, à frente, nem se molharam, e menos entendo como é que os óculos foram ao chão e os vidros não se riscaram.



Se alguém viu o que aconteceu, pronuncie-se agora ou cale-se para sempre.



P.S. O "agora" do parágrafo anterior refere-se ao momento em que o post for lido e não ao que foi publicado.

master of puppets

Life makes puppets of us all. You can dance, but you can’t pull away from the strings.

Total Pageviews

There was an error in this gadget

Followers

Blog Archive